Evolve Fitness Concept

Exercício físico como prevenção do cancro

Segundo alguns estudos analisados pela Personal Trainers, o exercício físico reduz os níveis de glicose e de insulina e eleva os níveis de hormônios corticosteroides, eleva também os níveis de citocinas anti inflamatórias e aumenta a expressão dos recetores da insulina nas células que combatem o cancro.

Sabe-se também que a atividade física aumenta a produção de interferon, estimula a enzima glicogênio, aprimora a função dos leucócitos e acelera o metabolismo do ácido ascórbico, isso faz com que tenha uma contribuição na prevenção da formação de tumores cancerosos.

Muitos estudos associam também obesidade ao risco de desenvolver cancro; uma das explicações é o fato de a obesidade ser uma doença crônica, inflamatória, pois o tecido adiposo, em especial o branco, secreta mais de 50 substâncias, dentre as quais estão relacionadas as famigeradas citocinas, citadas anteriormente; portanto para indivíduos que têm um estilo de vida saudável, com prática e de exercícios físicos e uma dieta balanceada, esse risco diminui consideravelmente.

“O obeso tem uma maior probabilidade de desenvolver o cancro de mama, principalmente as mulheres depois da menopausa. Na mulher obesa, há ainda a frequência do cancro do colo do útero. Outros tipos de cancro, como o do pâncreas e do esôfago também estão ligados ao peso”, disse Fernando da Cunha – diretor do Centro de Oncologia de Campinas em entrevista ao programa Revista Brasil da Rádio Nacional (disponível em http://www.ecodebate.com.br/2009/11/30/diretor-do-centro-de-oncologia-de-campinas-diz-que-incidencia-de-cancer-esta-diretamente-ligada-a-obesidade/).

Estudo comparativo de frequência cardíaca de repouso mostra que quando há uma frequência cardíaca de repouso baixa, indicando um bom condicionamento físico há menos incidência de cancro.

Sabe-se, também, que o exercício em intensidade moderada/intensa auxilia no fortalecimento do sistema imunológico, ao contrário de exercícios de alta intensidade (como maratonas) que o deprimem.

A prática de exercício físico por parte de doentes com cancro deve ser equacionada, devido aos seus inúmeros benefícios, desde que planeada e orientada por especialistas do exercício devidamente certificados, atendendo às diretrizes aconselhadas pelas organizações de referência.
Os benefícios do exercício físico podem ser observados do ponto de vista psicológico e fisiológico. Está comprovado que reduz a ansiedade e a depressão, aumenta o vigor, competência física, autoestima e autocontrolo. As pessoas que praticam uma atividade física regular relatam uma melhoria da qualidade de vida. Em termos de efeitos fisiológicos, destacam-se a melhoria da capacidade funcional, aumento da força muscular e flexibilidade, melhoria da composição corporal (mais músculo e menos gordura corporal), aumento dos níveis de hemoglobina e da atividade das células imunitárias, tal como redução da fadiga, náuseas, vómitos e diarreias, tão frequentes em doentes com cancro.

Por isso, não hesite em contatar a ajuda de um personal trainer para que possa ter o melhor acompanhado quer possua esta doença ou não.

Texto de Laura Sousa