Evolve Fitness Concept

BENEFÍCIOS DA ATIVIDADE FÍSICA LABORAL

Hoje em dia é notória a redução da atividade física laboral, resultado da diminuição do número de profissionais ligados ao setor primário (agricultura, pecuária e pesca). Inversamente, observa-se cada vez mais o desenvolvimento de profissões ligadas às tecnologias, levando consequentemente a uma redução na atividade física laboral e um aumento do comportamento sedentário.

Apesar do conhecimento sobre os benefícios da atividade física na saúde, observa-se uma diminuição da mesma ao nível do lazer, gradualmente substituída por atividades fisicamente mais passivas (Barros, 1999).

Por outro lado, podemos constatar que o ambiente de trabalho dispõe de relações cada vez mais complexas e mais competitivas, resultando numa maior exigência na produtividade, causando maiores níveis de pressão e de stress, aumentando a procura pela qualidade de vida no trabalho. Esta é definida pelo conjunto das ações de uma empresa que envolve a implantação de melhorias no ambiente de trabalho, com o objetivo de aumentar a satisfação dos trabalhadores e consequentemente um aumento da produtividade e redução de custos da própria empresa (Stort et al., 2006).

  A implementação de atividade física, nos locais de trabalho, tem benefícios na diminuição da ansiedade e do stress, no aumento do autocontrolo, na maior concentração e, não menos importante, na indução de um efeito positivo na relação do funcionário com a própria empresa e com os colegas (Stort et al., 2006).

A prática de exercício físico regular induz um aumento significativo dos níveis de produtividade e motivação, respetivamente, na ordem dos 30% e 40%, e um aumento da competitividade da empresa (Salmon, 1995).

Cada programa deve ter um direcionamento, uma vez que cada empresa tem a sua especificidade, deve haver um diagnóstico dos problemas e limitações das atividades ocupacionais, assim como dos recursos físicos e humanos, para ser possível o planeamento e execução das ações a serem implementadas (Alves, 2011).

Na Implementação de programas de promoção nos locais de trabalho, o desafio encontra-se no desenvolvimento de estratégias organizacionais, sociais e ambientais que garantam a participação continuada dos trabalhadores, uma vez que a taxa de desistência ronda os 30 a 70% nos primeiros três a seis meses. Entre as abordagens que as empresas têm adotado nos locais de trabalho, destacam-se a flexibilização no horário de trabalho, incentivo de pausas em trabalhos prolongados, subsídios para apoiar o trabalhador que quer participar na atividade física, fornecimento de uma estrutura para a prática de atividade física, como uma sala ou um ginásio, seguro de bicicletas, vestiário e incentivos ao uso da escada.

Existem várias formas de promoção da atividade física adotadas pelas empresas e organizações:

Ser baseada na realização de exercícios de baixa ou média intensidade, com duração entre 5 a 15 minutos por sessão, considerando as características laborais e organização do trabalho de cada setor ou empresa, realizados 3 vezes por semana (Polito, 2002 e Macial, 2010). Uma outra forma é a caminhada, pois verificou-se o impacto de um programa de intervenção nesta área, com uma duração de 45 minutos, duas vezes por semana, durante 2 meses, realizado no local de trabalho. Observaram-se diminuições significativas dos valores de pressão arterial e uma manutenção da gordura corporal (Murphy, 2006).

Nos locais de trabalho com escadas, o incentivo ao uso das mesmas é também uma estratégia de implementação de atividade física no trabalho, substituindo o uso do elevador. Com base no estudo de Schumacher et al. (2013), num período de 6 meses, uma empresa ofereceu um prémio em dinheiro para quem cumprisse 20 pontos por dia por utilizar a escada, registando os acessos através da passagem do cartão de identificação. Neste período, a utilização das escadas aumentou 600 %.

Ao nível das grandes empresas, a contratação de profissionais com o objetivo de desenvolverem um programa de atividade física com os funcionários é benéfico para o sucesso do mesmo (Costa, 1990). 

A disponibilização de um ginásio dentro do espaço da organização é também um fator de atração, permitindo o acesso à atividade física sem ter que sair do ambiente de trabalho.  Na dificuldade de investir neste âmbito, são propostos descontos em ginásio ou ajuda nesse pagamento. Devem ainda ser criados programas que envolvam grupos de corrida e de torneios tanto internos como externos de forma a promover as relações interpessoais (Ogata & Simurro, 2009).

A ginástica laboral deve incluir exercícios de carácter aeróbico, como a corrida. A melhoria da postura e redução de dores na coluna consegue-se a partir de exercícios de flexibilidade (Achour Junior et al., 1999).

Estes resultados representam uma forte evidência de que pequenas intervenções podem levar à mudança nos parâmetros de saúde e, desta forma, incentivar a adoção de um estilo de vida ativo de forma mais regular e permanente, o que facilitaria o alcance de maiores benefícios para saúde e qualidade de vida, tanto no trabalho como na vida pessoal. Se quer melhorar o estilo de vida dos seus colaboradores, potenciar a produtividade da sua empresa e reduzir os gastos com baixas, porque não recorrer aos serviços de profissionais qualificados na área da atividade física que planeiem e organizem treinos adaptados à população em questão.

Não hesite em contactar-nos e invista na sua saúde e na dos seus colaboradores!

Ana Rita Cativo